A história da menina que parou o BRASIL e o mundo

Esta semana uma menina de 13 anos parou o BRASIL e o mundo! Rayssa Leal foi Vice-campeã na estreia do skate nos Jogos Olímpicos de Tokio. Mas mais que o título, que nos causa um orgulho imenso, nos deparamos com um texto lindo do Pediatra Daniel Becker, no seu Instagram @pediatriaintegralbr que queremos compartilhar, pois traduz nosso pensamento e estilo de educação infantil. Desejamos uma ótima leitura.


Uma menina magrela de 13 anos, maranhense de Imperatriz, encantou o Brasil inteiro ontem.


Acompanhando as provas, me emocionando às lágrimas, uma característica da nossa fadinha me chamou muito a atenção: Rayssa está sempre brincando. Ela transmite uma sensação de leveza e prazer quando está no skate. Relaxada, o semblante não mostra nenhuma tensão. Ao contrário de outras competidoras, como americanas e chinesas, Rayssa brinca e sorri. E esbanja afeto, nos abraços à sua companheira Letícia, na torcida por ela, nos cumprimentos carinhosos às outras atletas.


É claro que não é só brincadeira e relaxamento. São anos de treinamento, com orientação, seriedade e profissionalismo.


Mas tenho certeza que o brincar faz parte dessa trajetória tão linda. Brincar ajuda na motivação e no foco, facilita o aprendizado, aumenta a criatividade e a capacidade de resolver problemas. Traz humor, energia positiva, leveza.


Aposto que Rayssa brincou muito quando criança, com e sem o skate. Brincadeira é coisa séria, gente. É a linguagem fundamental da infância, através da qual ela se compreende, percebe o mundo e se expressa. E mais, é o jeito que a natureza criou para que filhotes humanos cumpram duas tarefas importantes: aprender as habilidades necessárias para a vida adulta e produzir bem-estar e felicidade. Uma criança que brinca está semeando uma adolescência e vida adulta mais leves e felizes.


Obrigado por trazer tanto orgulho, afeto e sorrisos para um país tão marcado por um clima pesado, pelo ódio. Precisamos reaprender a brincar. Sendo um pouco crianças como Rayssa: levando a sério nossos problemas, mas trabalhando com mais leveza e amor para resolvê-los.


Valeu, Fadinha. 🧚✨


Fonte: Pediatra Daniel Becker via @pediatriaintegralbr




27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo